Um dos principais obstáculos do aluno é conseguir se lembrar de tudo que aprendeu. Você até se lembra que foi para a aula, abriu o livro e começou a ler… Mas e a matéria ? Se lembra ? Isso tem uma explicação. Alberto Dell’Isola, renomado como o “homem-memória-brasileiro”, conta em seu livro “Supermemória – Você também pode ter uma” que esse esquecimento é algo comum do cérebro, mas que há formas de enganar o branco.

A curva do esquecimento

Dell’Isola esclarece que vários alunos o procuram aflitos com a qualidade de leitura que fazem, alegando que ela é “tão ineficiente”, que depois de alguns dias não se lembram mais do que leram. Para o profissional, isso não tem nada a ver com a metodologia da leitura em si, mas sim com uma coisa conhecida como “curva do esquecimento”.

Descoberta em 1887 pelo filósofo alemão Hermann Ebbinghaus, a curva demonstra a quantidade de informações que nosso cérebro é capaz de manter com o passar do tempo, depois de uma sessão de estudos com uma hora de duração.

curva-esquecimento

Ela da início no zero, pois começa a contar um pouco antes do instante em que o aluno inicia a sua sessão de estudo. Ao final da leitura da matéria, a curva alcança o seu ponto máximo, o que significa que ele se lembra de 100% do conteúdo ensinado (ou, como diz Dell’Isola, “ao menos saberá o máximo que ele tem condições de aprender, dado o conhecimento prévio sobre o tema”).

Percebam que com o passar dos dias, a curva vai descendo. Em seguida, no segundo dia após o fim dos estudos, caso não tenha feito nenhuma revisão, o aluno certamente se lembrará de pouca coisa, em torno de 50% do que aprendeu. De acordo com o especialista, as pessoas se esquecem mais nas primeiras horas do que ao longo de 30 dias. Ao final do primeiro mês, restará somente uma vaga recordação, e a impressão que ficará é a de que você nunca estudou aquela matéria, porque nosso cérebro está acostumado a descartar informações que não são reutilizadas com regularidade.

E aqui está o método que fará você memorizar tudo o que aprende:

1) Nas primeiras 24 horas após a sessão de estudo, para cada leitura de uma hora, você irá fazer uma revisão de doze minutos. Ela precisa ser realizada neste intervalo de tempo, pois é o momento em que perdemos mais informações e isso será suficiente para “controlar” a sua memória. Para aprimorar esse procedimento, você pode utilizar fichas-resumo, reler as informações anotadas no caderno ou gravar trechos da aula para ouvi-los depois.

2) 7 dias após a sessão de estudo, dedique somente 5 minutos para reacender na memória esse material.

3) Ao final de um mês, exerça o conteúdo de 2 a 4 minutos, e isso deverá ser o bastante para ajudá-lo a se lembrar novamente do que estudou.

Esse método é benéfico para pessoas que estudam uma grande quantidade de informação. Você pode colocá-lo em prática ao longo de alguns meses pra ver se vai funcionar. Em muitos casos, os alunos não possuem tempo para programar revisões em suas agendas, mas essa aqui vale a pena tentar! São poucos minutos (você só tem que revisar no máximo durante 12 minutos uma sessão de 1 hora) e quando você revisa, você não tem a necessidade de passar mais outra hora reaprendendo o conteúdo antes das provas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here